Veja outros Posts

6 Tendências que estão Transformando o Gerenciamento de Projetos | Robson Camargo

6 Tendências que estão Transformando o Gerenciamento de Projetos | Robson Camargo

Novas práticas e expectativas de negócio estão afetando as certificações e conhecimentos exigidos no Brasil e no Mundo

 

O cenário de gerenciamento de projetos será bem diferente em um futuro breve – para não dizer “já”. Mudanças vindas de clientes, novas práticas, expectativas das áreas de negócio e requerimentos do mercado e do governo em geral estão afetando as certificações, conhecimentos técnicos e treinamento exigidos dos profissionais que trabalham com projetos. O impacto terá foco em pessoas, comportamento, foco no negócio, abordagens e metodologias.

A seguir, listamos seis tendências que afetarão o modo de gerenciar projetos.

1. A estratégia corporativa precisa ter métodos claros e definidos para bem escolher seus projetos – Gestão de Portfólio 
Competição, recursos limitados, fatores internos e externos, orçamento e prazo restritos, levarão os líderes empresariais à transformar suas práticas de gestão e os times para focar todos os esforços para atingir os objetivos de negócio das organizações.

As empresas precisarão buscar abordagens mais assertivas quanto à análise das forças e fraquezas de suas organizações para determinar quais oportunidades precisam de fato ser implementadas, ou seja, para bem escolher os projetos a serem investidos. Atualmente muitas empresas fazem meio no “feeling”, sem nenhuma análise de Payback.

O cenário reforça a ideia de que será preciso olhar com uma lupa os objetivos de negócio da empresa, seus desafios e recursos disponíveis para selecionar de forma mais correta quais projetos deverão ser conduzidos e quais são os profissionais mais aptos para implementar aquela iniciativa. Dessa forma a empresa poderá se manter e crescer de forma sustentável e firme. Os executivos terão que aprender a lidar com a ansiedade e com a frase “sempre funcionou do meu jeito”. Atenção: lembre-se de algumas marcar famosas de pouco tempo atrás que simplesmente desapareceram.

Portanto, Gestão de Portfólio e Gestão de Projetos serão os tópicos fundamentais para a sobrevivência das empresas, efetivamente.

  

2. Saber utilizar ao máximo os recursos humanos limitados 

A cultura empresarial exerce grande influência no gerenciamento dos times de projeto. O contexto hierárquico é bastante comum, com empregados apenas absorvendo ordens que vem do topo devido às metas dos gerentes funcionais e diretoria. Cada vez mais, os líderes precisarão encontrar uma abordagem que permita construir times focados em projetos para gerar um ambiente mais forte e flexível e contribuir com os objetivos da organização como um todo e não com uma visão parcial.

A organização hierárquica talvez tenha que ser redesenhada para criar um ambiente de compartilhamento de ideias e de pessoas. É preciso enxergar os profissionais para tocar o dia a dia, sem dúvida, porém com metas cruzadas – onde os gerentes funcionais devem se comprometer mais com os projetos da empresa para “ceder” seus liderados sem boicote, e para com o pensamento “o sucesso de tal projeto não vai contribuir em nada para a MINHA meta” – isso deverá acabar. As pessoas terão que ter um olhar mais amplo e compartilhado, do tipo, “todos por UM”.

3. Não há mais anonimato – Ética acima de tudo... enfim

Os líderes corporativos andam cada vez mais preocupados com questões éticas. Que bom. Dessa forma, tente medir os impactos sociais de seus projetos, seus objetivos em um contexto amplo e olhar sempre a forma correta de atuar em todos os aspectos profissionais e pessoais. Em um mundo conectado, tudo se torna público. Cada vez mais pessoas e empresas querem fazer negócio com pessoas e organizações éticas, que atuem de forma correta e que forneçam níveis adequados de transparência em sua gestão. Não há mais anonimato.

Certifique-se de que sua postura e da sua empresa é totalmente correta de modo que possa ser monitorada, divulgada e medida pelas mídias sociais, cada vez mais comuns nos hoje em dia. Isso, no final das contas, permitirá proteger você e a companhia para qual você trabalha, e certamente gerará maiores oportunidades de negócio.

4. Dar Maior ênfase às habilidades comportamentais - não técnicas

Soft skills se tornam cada vez mais importantes. Além de uma certificação em Gestão de Projetos, as empresas buscarão profissionais com boas habilidades de liderança e comunicação para compor seus times. As pessoas são contratadas pela competência técnica que tem e demitidos pela competência comportamental que não tem.

Grande parte de um projeto refere-se à “pessoas”. Logo, é necessário contar com profissionais que saibam resolver conflitos, lidar com questões delicadas, consigam estabelecer boas relações entre os stakeholders e criem um ambiente que vença barreiras de toda natureza. Lidera-se pessoas e gerencia-se tarefas. Liderar é a parte boa, que foca em estimular, motivar, orientar. Enquanto que gerenciar é a parte chata, pois foca em “controle”, com aquelas perguntas: “está pronto?” ou então “quando?.” O ideal é saber quando e como usar do ato de Liderar e o ato de Gerenciar. Ambas são necessárias, porém de forma equilibrada.

5. Saber fazer diferente – inovação e Design Thinking

Nunca foi tão necessário, ter que repensar e inovar como nos tempos atuais. Todo mundo quer e precisa saber fazer seus negócios de formas diferentes em todos os aspectos do negócio, desde o aspecto de posicionamento de marca, apresentação da empresa para o mercado, mas principalmente quanto à inovação de produtos. Nesse sentido, como inovar? Como fazer diferente? É aí que a abordagem de Design Thinking vem para contribuir muito e todos, certamente, terão que saber o que é e como funciona esse método de trabalho para descobertas do que é de fato bom para a empresa, para fazer os negócios crescerem, descobrir o que os clientes pensam, quais as expectativas do mercado, quais produtos devem ser ofertados, como ofertar, enfim, o que fazer diferente – inovar de forma acertada, de forma totalmente alinhada com o planejamento estratégico da empresa.

Design Thinking é o conjunto de métodos e processos para abordar problemas e encontrar soluções, abordando levantamento de informações, análise de conhecimento e propostas de soluções, utilizando a criatividade para geração de soluções e a razão para analisar e adaptar as soluções para o contexto que estiver sendo tratado.

6. Investir em conhecimento e abordagens híbridas de Gestão de Projetos

Tem muita gente trazendo várias formas “novas” de gerenciar projetos. Digo “novas” pois na realidade são conhecimentos de décadas que estão sendo REapresentados com outras roupagens. O interessante disso tudo é que gera um movimento onde as pessoas – na descoberta de saber o que são esses temas  “novos” -  saem da sua zona de conforto, buscam saber do que se trata e repensam a forma que fazem a gestão de projetos atualmente. Essas abordagens englobam: forma tradicional de gerenciar projetos, métodos ágeis, Kanban, CANVAS, PM VISUAL, SIX Sigma, dentre outros.

Isso tudo leva à uma conclusão: não existe uma única forma que seja o ideal para todo e qualquer projeto. O ideal é analisar o projeto, o tamanho e grau de complexidade, investimento, criticidade, e conhecer todos esses métodos para ver qual modelo se adapta melhor. Todo mundo quer usar o ágil – seja lá o que isso for para o leigo – o que atrai é a palavra “ágil”  - deve ser mais rápido e mais fácil de usar. E pode ser mesmo. O PM VISUAL por exemplo utiliza a junção de todos os modelos para permitir um planejamento em 8 horas de trabalho com 68% de chances de sucesso. 1 dia de trabalho para esse grau de confiabilidade, vale a pena conhecer.

Portanto, é da máxima importância que os profissionais estejam super antenados com todos os modelos existentes somados aos que estão surgindo. Isso vai exigir novas certificações e aperfeiçoamento. A certificação PMP já é pré requisito para quem trabalha com projetos. Me lembro quando o meu curso de datilografia era o meu diferencial.

A partir de agora, certamente começará a ser exigido Certificações além do PMP: em Métodos Ágeis, em processos e adquirir conhecimento de todos os tópicos citados acima.

 Assim sendo fica uma dica: existe um curso denominado PM BRAZILIAN MASTERS cujo programa é fantástico, pois apresenta todos esses “novos” e “velhos'conceitos, e é ministrado pelos mais renomados e especialistas do Brasil em cada tópico em que atua. Vale a pena conferir no site www.robsoncamargo.com.br ou no site www.pmmasters.net.br.

 

Até a  próxima!

 

Robson Camargo

Agosto / 2016

 

 

 

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Newsletter