Blog

Confira nossas novidades e assine nossa newsletter!

Assine nossa Newsletter

Veja outros Posts

15 Dicas para passar no Exame PMP

15 Dicas para passar no Exame PMP

 

1. Faça um curso Preparatório – Poucas pessoas são super disciplinadas a ponto de estudar sozinhos. O caminho é árduo e longo. Um curso preparatório pode te guiar nos estudos, explicar vários conceitos que por vezes parecem serem simples de entender apenas com a leitura. Além disso, o fato de encontrar outras pessoas que estão no “mesmo barco” ajuda muito, sem contar que durante o curso são apresentadas uma série de dicas importantes sobrecomo responder algumas perguntas que o PMI quer saber de um pretendente à PMP.

2. Monte um cronograma de estudo – O ideal é estudar 2 áreas de conhecimento por semana,com uma dedicação de cerca de 12 horas semanais, além das aulas presenciais do curso preparatório. Nos cursos da ROBSON CAMARGO por exemplo, são ministradas 8 horas aula por semana. Portanto, somando as duas atividades totaliza 20 horas de estudo. O ideal é fazer o estudo das 12 horas extra sala após os temas vistos em aula, seguindo a seguinte sequencia: leitura do PMBOK referente ao capitulo tido na aula e responder questões pertinentes. Depois, ler novamente o mesmo tema em um livro preparatório - recomendamos o livro da RJN ou da Kim Heldmann - e responder mais questões sobre o capítulo correspondente. Segundo a Universidade de Princeton, se uma pessoa voltar a ver o que foi visto em sala em até 3 dias após a aula, ela retém cerca de 80% do que foi visto, e se voltar a ver em até 4 dias, retém os outros 20%. Entretanto, se ficar 7 dias sem estudar, a pessoa retém no máximo 20% e o restante tem que começar praticamente do zero.

 

3. Monte um grupo de estudos – Após ter respondido as questões individualmente, discuta as questões em grupo de 3 ou 4 pessoas – não em 2 e não mais do que 4 pessoas. Essa discussão, de cerca de 100 questões em grupo por semana, faz com que o grupo aprofunde mais em cada tópico e elimine todas as últimas dúvidas referentes ao tópico de estudos em questão. Caso, após a discussão em grupo ainda permaneça dúvidas, procure o “seu guru” para esclarecê-las.

4. Escolha um bom livro Preparatório auxiliar – RJN, Kim Heldman ou Kezner – Procure um livro cujas questões sejam parecidas de fato - semelhantes ou mais difíceis que as do exame. Para isso, remomendo os livros da RJN, Kim Heldman ou do Kezner. Uma atenção: existe um mito sobre um ou outro livro que basta ler esse ‘livro’ que passa – cuidado: isso já foi verdade um dia, há cerca de 10 anos atrás, porém não é mais. Alguns livros são muito fáceis e não oferece o embasamento real para a prova, criando uma falsa ilusão de que você está bem preparado para o exame. Cuidado para não pegar um livro fácil, ficar com a auto estima elevada, por ter um bom percentual de acerto, e depois não se tornar um PMP.

5. Pule as 10 primeiras perguntas – Como todo exame mais bem elaborado, as primeiras perguntas são do grupo “perguntas difíceis”, para testar o quão suscetível o candidato é em relação a pressão. Muitas pessoas começam a fazer a prova e ficam meio apavorados, pois nas primeiras perguntas o candidato lê e não consegue responder nenhuma pergunta com segurança ou até não faz a menor ideia da resposta, e aí começam a pensar “Ué? Sobre qual área de conhecimento é essa pergunta?” ou “Meu Deus, eu estudei tanto. Será que estou na prova certa?”. Esses pensamentos podem influenciar no comportamento da pessoa em relação às próximas 190 perguntas restantes, e pode começar a dar o chamado “branco”. Então, comece pela pergunta 11 e depois volte, ao final, para responder as primeiras 10 perguntas. O exame permite você voltar e também responder e marcar para revisão ao final, dentro das 4 horas.

6. Pense “PMI” ou como os Americanos – O modelo americano, alemão ou japonês é muito correto na forma de gerenciar projetos, ou seja, procuram fazer direito sem dar o chamado “jeitinho”, como muitos de nós - brasileiros - fazem. O que quero dizer é: procure responder da forma como um gerente de projetos deve fazer verdadeiramente, e não ficar ajeitando as coisas. Esse é o motivo pelo qual muitos dizem “vai pela teoria e não pela prática”. Não é bem assim! Uma parte dessa frase é correta: “Não vá pela prática comumente usada no Brasil”, aí sim. Portanto, pense como os Americanos e responda como um verdadeiro PMP, planejando, seguindo o plano, não fazendo as coisas na correria e com atropelos, por mais que pareça urgente. 

7. Encontre a ideia principal da pergunta – Para cada pergunta procure a ‘Ideia Principal’, o ‘sentido’ da pergunta, ou seja, o que de fato o PMI quer saber. As vezes é uma frase, as vezes uma palavra, enfim, algo que seja o ponto crucial da questão. Procure também identificar qual o processo que o PMI está se referindo. Se um desses pontos forem identificados, ficará muito mais fácil escolher a resposta certa.

8. Faça a prova na sua língua natal – Muitas pessoas me perguntam se deve fazer a prova em Inglês ou em Português. Resposta: faça na sua língua natal. Portanto, no caso de ser brasileiro: Português, Argentino: Espanhol, e assim por diante. Mas, e quanto à tradução? A tradução é boa. Poderá encontrar um ou outro erro, mas muito pouco. Quando isso ocorrer, o candidato deverá olhar para a pergunta ou resposta em inglês que estará aparecendo na mesma tela. Por que recomendo a língua natal? Porque há somente 1:12 minuto disponível para cada questão, em média. Se o conhecimento da língua inglesa não for de domínio total, é mais provável que se perca mais tempo traduzindo e entendendo as perguntas e respostas do que entendendo o que o PMI quer saber de fato sobre gerenciamento de projetos. Se for direto na língua portuguesa e deixar o inglês para alguns questões “mal traduzidas” o saldo do tempo ganho é maior. Um detalhe importante: lembre-se de ao preencher sua elegibilidade junto ao PMI, colocar como segunda língua “Português”. Dessa forma, na prova, vai aparecer em Inglês e em Português, ou seja, a segunda língua escolhida, ou qualquer outra se for outra. Mas lembre-se, isso você escolha no momento da INSCRIÇÃO para a elegibilidade. Outra coisa importante: quanto às siglas é bom saber em Português e Inglês.

9. Santifique seu local de estudo – Em casa, no seu estudo extra sala, todos seus familiares devem saber que naquele horário e local você estará estudando. Se precisar, cole uma placa de “Por favor, me ajude, preciso estudar. Se der, não incomode agora. Tks”. Outro ponto:desligue seu celular, coloque seu filho para dormir, pegue papel, caneta, lápis, borracha, apontador, água, coca, comida, enfim, tudo o que precisar. Mas não interrompa o seu horário de estudo. Posicione sua mesa preferencialmente de ‘cara para a parede’ e evite qualquer música, som de TV ou qualquer tipo de barulho ou interrupção. Evite estudar no local de trabalho, pois tem distrações demais, à menos que você se enfie em uma sala de reuniões na hora do almoço ou antes do horário normal de trabalho. Lembre-se: você precisa de tempo para se concentrar. É quase uma estratégia de guerra.

10. Não Decore, entenda – tudo bem, alguma coisa até pode– Procure entender o que está estudando. Decorar todos os processos, entradas, ferramentas, técnicas e saídas de cada  processo é muito difícil, ou quase impossível. Então, durante os estudos, procure entender o que cada processo precisa ter em mãos (Entradas) para produzir tais resultados possíveis (Saídas), e quais as Técnicas e Ferramentas podem estar disponíveis para serem utilizadas. Cerca de 40 perguntas da prova serão pertinentes à isso. Para ajudar, procure também entender em quais processos cada resultado do processo em questão (Saída) deverá entrar. Quanto às fórmulas ou o guru de algum dos conceitos de qualidade, por exemplo, pode até decorar, memorizar, mas se entender como chegar nelas, seus fundamento e suas utilidades, muito melhor.

11. Faça simulados e mantenha um ciclo repetitivo – Faça simulados quando terminar cada capítulo estudado, mas principalmente ao terminar um grupo de capítulos. Ao receber um simulado com perguntas misturadas poderá ajudar muito, pois você precisa pegar o ‘jeito’ das questões do exame da certificação, e ao virem misturadas, você não sabe de antemão de qual área de conhecimento tal pergunta pertence. Para passar você precisa de prática e os simulados irão proporcionar isso. O segredo é ter um ciclo repetitivo a cada capítulo ou área de conhecimento: leitura, questão, leitura, questão, discussão das questões em grupo referente à uma área de conhecimento. Depois: leitura, questão, leitura, questão, discussão das questões em grupo. Depois: Simulado com perguntas misturadas. Quanto ao simulado, recomendo o PM TOTAL, o qual também disponível no site da ROBSON CAMARGO.

12. Treine o tempo do exame – Ao responder perguntas ou fazer simulado coloque um relógio startando um cronômetro e vá se acostumando com essa ‘pressão’. Observe quanto tempo que está levando para resolver 10, 20, 30 e até chegar nas 200 questões. É como uma maratona. Vá aumentando a quantidade e meça o tempo que está levando. Não basta acertar, tem que ser dentro do tempo adequado. O certo é responder cerca de 50 questões por hora. Se estiver muito longe disso, acelere na leitura. Se tiver muito rápido, diminua o ritmo da leitura. Use bem o tempo. Defina um momento de intervalo de 5 minutos durante a prova, para que não fique ‘viajando’ por cansaço.

13. Ache mais correta ou a menos errada – Muitas perguntas terão mais de uma resposta correta. Você deverá encontrar a mais correta e completa. Caso alguma pergunta tenha alternativas completamente “malucas”, aparentemente ao seu ver, vá pela tática contrária: comece eliminando as mais absurdas, até que sobre a “menos estranha”. Pode ser que uma www.robsoncamargo.com.br pergunta venha de uma forma que não é a mais comum de se apresentar e você não faça as ligações de imediato. Portanto, considere esse caminho contrário. Outro ponto importante: leia completamente a todas as perguntas e respostas. Não vá por aquela “essa é isso de cara” e nem ler o resto da pergunta. Se você souber bem uma questão, marque-a, mas leia as outras e comece a eliminar uma a uma – é muito comum, sabendo bem o assunto, que consiga-se eliminar 2 alternativas, o que aumenta muito a chances de escolher a alternativa correta.

14. Horário do exame - manhã ou tarde – Procure respeitar seu relógio biológico, tem pessoas que rendem mais pela manhã, enquanto outros tem maior concentração e melhores resultados na parte da tarde. Portanto, faça simulados no seu horário de melhor rendimento e marque a prova nesse horário de maior acerto.

15. Questões situacionais – muitas perguntas são situacionais e portanto, o que vai contar nessa hora é a experiência na aplicação prática do gerenciamento de projetos. Procure ver a aplicação verdadeiramente adequada. 

Última dica, não para a prova, após se tornar PMP:

Além de se tornar um PMP, use o conhecimento - No mercado de trabalho, assim que você se tornar um PMP, mostre que você não tem apenas o título da profissão, mas que você é bom mesmo. Muitas pessoas dizem “Fulano é PMP mas não sabe nada! Foi lá, decorou e passou”.Primeiro que acho isso bem difícil atualmente, o exame não é fácil. Segundo, se a pessoa passou “decorando” ela merece seu crédito, mostra que tem ótima memória e que as lições aprendidas podem lhe ser muito úteis. Entretanto, é importante mesmo utilizar o conhecimento adquirido, quer seja nas escolas ou no exercício da profissão.

Deixe seu Comentário

Agenda

Confira nossa programação!

Sobre

É uma empresa de Educação Corporativa oficialmente homologada pelo PMI com o selo de R.E.P. (Registered Education Provider), alinhada com o Triângulo de Talentos do Gerente de Projetos

Você também pode se interessar

Newsletter