Veja outros Posts

Como fazer a análise de valor agregado

Como fazer a análise de valor agregado

Como fazer a Análise de Valor Agregado?

  • 19/12/2018
  • Robson Camargo

 

Eu estava dando uma palestra num congresso sobre Gerenciamento de Projetos para quase 500 pessoas, quando um participante me perguntou: “Você utiliza Gerenciamento de Valor Agregado para controlar seus projetos? Como usar esse ‘treco’? ”

A resposta é: em muitos projetos é possível sim, em outros se torna bem mais difícil.

Em função disso, escrevi um pouco sobre o assunto  e também publiquei um vídeo super completo, com 25 minutos de duração, no meu canal do YouTube, onde eu explico o processo detalhadamente.

Explicando em miúdos o valor agregado

Desenvolver um planejamento adequado e bem elaborado é fundamental para que o gerenciamento de um projeto aconteça de forma eficiente, e um poderoso recurso para dar maior confiabilidade no projeto é a análise de valor agregado.

Com a análise de valor agregado você poderá responder perguntas importantes, como: “Quanto já gastamos com o projeto?”, “O tempo planejado será suficiente?”, entre outras. Vamos ao que é valor agregado e como fazer a análise.

O que é valor agregado?

valor agregado nada mais é do que uma análise avançada de seu projeto quando ele ainda está em desenvolvimento.

Segundo o Project Management Body of Knowledge (PMBOK), elaborado pelo Project Management Institute (PMI), valor agregado é a quantidade de trabalho desempenhado expressa em termos do orçamento definido para tal.

Portanto, valor agregado é o valor orçado do trabalho realizado, conduzido até a data de status. Assim, vale ressaltar que a análise do valor agregado em projetos permite que as seguintes perguntas sejam respondidas:

- Quanto foi gasto até o momento?

- Quanto de trabalho já foi concluído?

-O trabalho será finalizado dentro do orçamento aprovado?

-O trabalho terminará dentro do prazo estimado?

De forma mais clara, podemos dizer que ele representa a medida financeira de quanto foi agregado ao projeto até o momento, com relação ao que havia sido planejado, medido em valor financeiro.

Como fazer análise do valor econômico agregado?

O objetivo principal desta ferramenta é resolver problemas e baratear produtos ou serviços sem comprometer sua qualidade, características, técnicas e funções.

O termo - valor agregado - surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, quando houve a necessidade de descobrir recursos alternativos com um custo inferior que pudessem substituir os que estavam sendo utilizados na época, devido à escassez causada pela guerra. Isso sem prejudicar a qualidade dos materiais que eram produzidos.

Com o tempo o termo foi sendo aplicado nas empresas de diferentes portes e segmentos como uma forma de reduzir gastos, administrar despesas e investimentos, além de promover melhorias em todos os processos administrativos.

A partir daí surgiu o termo análise do valor agregado que nada mais é do que o controle de recursos e orçamentos de projetos organizacionais. É uma forma de controlar melhor todos os custos de qualquer projeto que uma empresa necessite realizar.

Trata-se de uma análise precisa sobre o valor agregado, isto é, o valor do projeto realizado em comparação com todos os custos gastos no projeto dentro de um prazo determinado. Ou seja, o orçamento que foi planejado gastar em relação ao que realmente foi gasto.

Para fazer a análise do valor agregado você precisa primeiro entender três valores-chaves:

1 - Valor planejado (VP): custo estimado para conclusão dentro da data de status

Esse é o custo da linha de base de uma tarefa estimada no início do projeto. Quando se planeja um orçamento para um projeto é necessário colocar nele todos os gastos previstos para chegar ao resultado final da ação, e com a análise de PV você poderá relacionar o custo previsto com o andamento do projeto, mas com esse valor, não há como saber até que ponto o projeto está caminhando dentro do planejamento.

2 - Custo real (CR): quanto foi gasto até o momento

Depois de ter associado o tempo do projeto com o custo planejado, com o CR você calculará o que foi efetivamente gasto até o momento da análise. Por exemplo, se uma tarefa tinha custo diário previsto de 25% por dia e não ultrapassou o valor estimado, mas gastou 5 dias e não 4 como era planejado, o PV 100% mas o AC foi de 125%.

Mas mesmo diante do custo real do projeto, não é possível saber se ele está ou não dando certo, apenas com o Valor Agregado é possível calcular o resultado real do projeto.

3 - Valor agregado (VA): quanto vale o trabalho concluído até o momento.

Com o valor agregado é possível fazer uma comparação entre o valor do trabalho realizado até a data do status de acordo com a moeda.

Vamos a um exemplo pra que você possa entender melhor: Considere que depois de 3 dias, que representam 70% de um trabalho a estimativa é que você tenha gasto 60% da verba prevista para o projeto que era de R$ 70,00 e nesse momento você já gastou R$ 80,00 que representa 80% da verba do projeto, por isso, nesse momento é possível dizer com firmeza de seu orçamento está estourado.

Vantagens da análise de valor agregado

Confira algumas das vantagens que uma análise de valor agregado pode oferecer para as empresas:

  • Mensuração de performances
  • Dados palpáveis
  • Melhor controle de gastos e custos corporativos
  • Decisões mais assertivas e direcionadas
  • Previsão precisa de possíveis problemas empresariais
  • Melhora de desempenho nos projetos realizados
  • Métricas totalmente calculáveis e adaptáveis ao tipo de negócio da empresa
  • No gerenciamento de projetos, assim como em qualquer área, existem problemas que podem ser solucionados definitivamente ao se conhecer as suas origens.

Assim como o Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta bastante eficaz na solução efetiva de vários problemas, a análise de valor agregado também é extremamente útil ao permitir decisões mais assertivas e direcionadas.

Como nos ensinou Ishikawa, 'se você não dispõe de indicadores de controle você não gerencia'.

Como incorporar esse conceito na gestão de projetos?

Que gestor não quer saber se conseguirá terminar um projeto a tempo com base na quantidade de trabalho empregada até o momento? Pois bem, a análise de valor agregado em projetos é uma poderosa forma para se exercer controle do orçamento.

A análise do VA não é complicada. Aqui temos mais um exemplo para te ajudar a compreender: imagine que você está trabalhando em um projeto de revitalização de prédios em uma rua sem saída, sendo que, a cada mês, um prédio deverá ser revitalizado. Seu prazo para conclusão das etapas é de 10 meses.

Imagine que você tem R$ 100 mil para revitalizar 10 construções. Cada uma tem um orçamento de R$ 10 mil, incluindo tudo o que será gasto. Após dois meses de trabalho, você pede um relatório ao contador e descobre que foram gastos R$ 30 mil no projeto até agora. Só que, nesse período, segundo o cálculo, 20% do projeto já deveriam ter sido concluídos, com um gasto de R$ 20 mil, e não mais 10% do valor.

A grande vantagem de poder contar com esse tipo de cálculo é a combinação do tempo com dinheiro. O GVA multiplica a moeda pela porcentagem concluída (ou tempo planejado), revelando se você está atrasado, com problemas no orçamento ou não.

Ao fazer a gestão do valor agregado, as empresas conseguem controlar o status de seus projetos, a partir de avaliação e indicadores de monitoramento que apontam tendências e, consequentemente, auxiliam no Gerenciamento de Riscos, dos custos e atrasos de execução e entrega.

E agora? Compreendeu como a análise de valor agregado poderá lhe ajudar na prática? Mas aproveite também para ver o vídeo sobre o mesmo tema:

  

Sobre o autor

Robson Camargo, PMP, MBA, GWCPM, ASF é professor nos cursos de MBA das Principais Escolas de Negócio do País: FGV, Fundação Dom Cabral e FIA/USP com Certificação PMP – Project Management Professional emitida pelo PMI, MBA em Administração de Projetos pela FEA/USP e Master Certificate pela George Washington. Robson Camargo é autor do livro PM VISUAL e criador do Método PM VISUAL. Sua equipe realiza treinamentos e consultorias em empresas do Brasil e exterior. Robson Camargo está à frente da RC Robson Camargo – Projetos e Negócios, há mais de 11 anos.

As marcas PMP, PMI, PMBOK e a logomarca “REP” Registered Education Provaider são marcas registradas do Project Management Institute, Inc.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Newsletter