Blog

Confira nossas novidades e assine nossa newsletter!

Assine nossa Newsletter

Veja outros Posts

O que são metodologias ágeis e quais as vantagens?

O que são metodologias ágeis e quais as vantagens?

O que são metodologias ágeis e quais as vantagens?

  • 20/04/2018
  • Robson Camargo

 

As metodologias ágeis revelam-se cada vez mais importantes dentro do gerenciamento de projetos. Além de possibilitarem o envolvimento total com o cliente, também permitem entregas em etapas, o que já dá a oportunidade de o cliente conhecer os resultados do trabalho antecipadamente.

Como caracterizar o tipo de metodologia?

O risco da palavra que utilizei “em etapas” pode ser confundido com as “etapas” do método cascata ou preditivo. Pois você pode pensar “No método cascata eu também posso entregar em etapas”.

Então o que diferencia as metodologias tradicionais e as metodologias ágeis?

A diferença fundamental das metodologias ágeis está em fazer entregas com foco no benefício para o cliente e de forma incremental, onde o cliente já vai colhendo retorno com as entregas que forem sendo feitas.

Enquanto que no modelo cascata, o conceito original é que o cliente receber os produtos do projeto somente ao final e portanto irá utilizar ou coletar benefícios somente ao final de todo o projeto.

Entendeu melhor a diferença entre metodologias ágeis e tradicionais?

Normalmente, nos meus treinamentos e consultoria, aplico uma dinâmica lúdica em que esse conceito de benefício fica muito evidente – e pasmem, esse exercício lúdico trata-se da montagem de uma Ponte (com palitos, porcas, parafusos), onde muitas pessoas  dizem inicialmente “não dá para aplicar métodos ágeis em ponte; ele foi feito apenas para software, TI”.

Quando você entende o CONCEITO claramente, você verá que dá, e o foco passa a ser o benefício para o cliente, e não simplesmente cumprir prazo e custo, com uma visão mais restrita e limitada.

Outro dia uma pessoa defendia uma posição como gerente de projeto“meu papel aqui na empresa é cumprir o prazo do que me mandam fazer!”. E eu argumentava, “ok, mas e quanto ao benefício para a organização?”. “Isso não é problema meu”, me respondeu a pessoa.

Aí fica bem difícil – é como utilizar as práticas sugeridas pelo guia PMOBK® (Project Management Knowledge) ou algum metodologia da empresa por dogma, sem analisar e extrair de fato os benefícios de cada modelo. Por favor, não caiam no mesmo erro com métodos ágeis ou com qualquer outro método. O gerente de projeto tem que estar super atento ao que é melhor para a empresa sob o ponto de vista de geração de valor – sendo “valor” aquilo que mais lhe trará benefício conforme sua natureza.

O que são metodologias ágeis

As metodologias ágeissão abordagens para desenvolvimento de serviços ou produtos alinhados com os valores e princípios do Manifesto Ágil, que defende o planejamento adaptativo por meio de Inteligência Coletiva, times auto-organizados e multidisciplinares, focados em melhoria contínua.

Como surgiram as metodologias ágeis?

Pode-se dizer que a origem das metodologias ágeis pode ser datada em meados de 1990.  A ideia era criar algo novo em relação aos modelos tradicionais de desenvolvimento que apresentavam-se muito lentos e burocráticos.

A partir dessa busca, surgiram modelos para reduzir o ciclo de vida dos projetos, que antes podia ser prolongado por anos.

Em um mundo acelerado, com grande evolução tecnológica, essa morosidade não combina. Então, 17 desenvolvedores de softwares assinaram o Manifesto Ágil em 2001, em Utah (EUA). É uma nova metodologia. Ágeis ou Agile, aqui nem a palavra é à toa, é explicativa, já está em seu significado de agilidade.

O Manifesto é baseado em 4 sentenças (agilidade, múltiplas entregas, intensa participação do cliente e customização do produto)  e 12 princípios (valor, frequência, flexibilidade, união, motivação, comunicação, funcionalidade, sustentabilidade, revisão, simplicidade, organização, autoavaliação).

o que sao metodologias ageis e quais as vantagens

Como gerenciar projetos com metodologias ágeis?

Apesar de ter começado com o desenvolvimento de softwares, as Metodologias Ágeis no gerenciamento de projetos  vieram para dar aos gerentes mais possibilidades para trabalhar  jobs de vários setores, com entregas mais rápidas que no modelo tradicional e parciais. E veio para ficar!

Pelo método em cascata, ou preditivo, o gerente de projeto tem que e planejar toooooooodo o projeto sozinho, para então entregá-lo para equipe de desenvolvimento, que muitas vezes  não participa da criação, e só no final de tudo, o cliente receber o projeto inteiramente executado.

Pelo Manifesto  Ágil, em um projeto deve haver mais iterações pessoais e menos processos e ferramentas, software que funciona acima de grandes documentações, mais colaboração do cliente, e mais mudanças sem se prender a planos fechados. O foco é benefício para o cliente.

As metodologias ágeis também ajudam as equipes a lidar com armadilhas como custo, previsibilidade do cronograma e escopo do projeto, de forma mais controlada, principalmente se for precedida do PM VISUAL – que é o uso do Canvas de Projetos e sua explosão.

Como distinguir tipos de metodologia? Vamos primeiro ao Scrum

Entre as metodologias ágeis, Scrum é uma das mais conhecidas. Uma das grandes vantagens do método, que tem seu andamento focado em três papéis, Scrum Master (guardião da metodologia na organização), Product Owner (cliente) e Team (equipe), é a possibilidade de engajamento de todos de um forma muito efetiva e colaborativa.

As reuniões diárias e constantes desta metodologia ágil, permite que o time compreenda de fato a visão do cliente.

Scrum Master fica com o cargo de abrir os caminhos, facilitar a comunicação e ser um líder servidor para que os objetivos do projeto sejam atendidos com sucesso e cumprimento de prazos. Seu papel fundamental é fazer o papel de coach quanto ao uso do método, além ajudar a eliminar quaisquer empecilhos.

Com isso, a transparência é muito grande, porque todos os passos do desenvolvimento do produto são visíveis por todos, por meio de ferramentas diversas que podem auxiliar nesse método.

Com relação a duração de cada etapa para realização dessas entregas parciais e incrementais, elas são conhecidas como Sprints, que têm um prazo de 2 a 4 semanas.

O bom é que além de promover a rapidez e agilidade nas entregas com foco no benefício para o cliente, também possibilitam que o projeto seja aprimorado a cada entrega.

Como assim? É que quando termina uma Sprint, é realizada uma reunião de fechamento e avaliação, para somente depois começar outra Sprint. Assim, todos os entraves da Sprint anterior podem ser corrigidas e bons resultados serão aplicados já na próxima sprint.

Com a metodologia de testes ágeis e avaliações frequentes, automaticamente a qualidade é constantemente melhorada também.

Outra vantagem do Scrum é o gerenciamento de custo, que é previsível e limitado à quantidade entregue a cada Sprint.

Além disso, o cliente pode determinar a prioridade de recursos, fornecer o que é mais importante para o negócio, com maior valor comercial.

Para gerentes que têm a certificação PMP® não é imprescindível ter a certificação Scrum Master, porém, é altamente recomendável, ou ao menos é preciso conhecer muito bem este método ágil, pois existem ferramentas específicas e formas extremamente úteis para trabalhar com o Scrum ou de forma híbrida, sendo parte do projeto pelo método cascata. Essa decisão deverá ser feita sempre projeto a projeto.

Além disso, a certificação Scrum, no momento, também tem melhorado e muito, a empregabilidade dos gerentes de projeto.

scrum

Como implantar metodologias ágeis na era de tecnologia? Outros métodos

E quais são a metodologias ágeis? Para essa pergunta a resposta é que o Scrum está entre as três metodologias ágeis mais conhecidas.

Mas entre outras metodologias ágeis, XP (Extreme Programming) é uma delas. Ao lado do Scrum, figura como uma das top 3 dos métodos ágeis.

É uma das metodologias ágeis de desenvolvimento de softwares, baseada em  três pilares: agilidade no desenvolvimento da solução, economia de recursos e qualidade do produto final.

O XP nas metodologias ágeis tem muita semelhança com o Scrum em termos de valores e desenvolvimento de projetos.

Nas metodologias ágeis Scrum e XP, para chegar à excelência, uma equipe deve se basear em valores, ou seja, um contrato de atitudes como comunicação, simplicidade, feedback, coragem e respeito.

Mas embora hajam semelhanças, o Scrum é mais como um framework gerencial, enquanto o XP foca mais em práticas de engenharia.

Nas metodologias ágeis, XP tem o objetivo de levar ao extremo um conjunto de práticas que são ditas como boas na engenharia de software.

A terceira que está no topo é a LSD (Lean Software Development), que é a metodologia que está baseada no sistema Toyota de produção.

Sua maior vantagem, é o cuidado intenso para evitar desperdícios, como excessos de processos, códigos incompletos, defeitos, que podem atrapalhar a qualidade do desenvolvimento.

A equipe assume a responsabilidade pela qualidade do projeto, tirando um pouco o peso dos ombros dos gestores.

Para quem quer conhecer mais sobre as metodologias ágeis, FDD (Feature Driven Development, traduzindo: desenvolvimento por recursos),  é outra opção, pois reúne as melhores práticas dos outros métodos.

Essa metodologia ágil costuma ser usada por grandes organizações, de modo a obter sucesso repetitivo, com processos simples que ajudam a realizar o trabalho com entregas parciais em menos tempo e de modo mais fácil. Mas não é muito adequada para projetos menores.

Uma coisa MUITO IMPORTANTE, que nem todos tem essa visibilidade: quando comparado o tempo total de todas as entregas feito pelos Métodos Ágeis versus Método cascata, o tempo total acaba sendo muito parecido, ou por vezes o tempo total pelo método cascata é até menor.

Por vezes, os métodos ágeis são até mais trabalhosos  que o cascata, mas o benefício é para o cliente e não mais moleza para quem está tocando. A sensação boa é que, com as entregas parciais, o cliente já vai sentido o gosto do ganho e isso é muito bom.

Como resultado, a SENSAÇÃO da agilidade é muito boa. E em função disto, não raras as vezes, o Product Owner diz: “Já está bom! Não precisamos mais  trabalhar nos elementos do Product Backloq que ainda faltam ser feitos. O resultado alcançado já não justifica mais o desenvolvimento do restante. O trabalho vai ser muito grande para um ganho não tão grande”.  E essa é outra vantagem dos Métodos Ágeis.

Existem diversas formas de conhecer as metodologias ágeis, pdf, livro ou vídeo-aulas, mas na RC Robson  Camargo – Projetos e Negócios, temos um treinamento denominado “Métodos Ágeis – Scrum – ASF Formação e Preparatório”.

O objetivo do curso de 16 horas é ensinar aos participantes todos os conceitos dos Métodos Ágeis e Scrum, para ser utilizado de imediato em seus projetos, mas também prepara para a prova de certificação ASF AGILE SCRUM FOUNDATION da Exin.

Livro nas metodologias ágeis complementa todo o conhecimento necessário, sem dúvida, mas garanto que com o treinamento, além do excelente conhecimento que você já pode por em prática, você vai ficar totalmente capacitado para a certificação  vai elevar o seu status dentro da empresa e a sua empregabilidade de modo geral.

Espero ter ajudado a ampliar sua visão sobre as metodologias ágeis!

 

 

 

Grande abraço!

Sobre o autor

Robson Camargo, PMP, MBA, GWCPM, ASF é professor nos cursos de MBA das Principais Escolas de Negócio do País: FGV, Fundação Dom Cabral e FIA/USP com Certificação PMP – Project Management Professional emitida pelo PMI, MBA em Administração de Projetos pela FEA/USP e Master Certificate pela George Washington. Robson Camargo é autor do livro PM VISUAL e criador do Método PM VISUAL. Sua equipe realiza treinamentos e consultorias em empresas do Brasil e exterior. Robson Camargo está à frente da RC Robson Camargo – Projetos e Negócios, há mais de 11 anos.

 

As marcas PMP, PMI, PMBOK e a logomarca “REP” RegisteredEducationProvaider são marcas registradas do Project Management Institute, Inc.

 

 

 

Deixe seu Comentário

Agenda

Confira nossa programação!

Sobre

É uma empresa de Educação Corporativa oficialmente homologada pelo PMI com o selo de R.E.P. (Registered Education Provider), alinhada com o Triângulo de Talentos do Gerente de Projetos

Você também pode se interessar

Newsletter