Blog

Confira nossas novidades e assine nossa newsletter!

Assine nossa Newsletter

Veja outros Posts

Dicionário da EAP apresentam detalhes que orientam os projetos

Dicionário da EAP apresentam detalhes que orientam os projetos

Dicionário da EAP apresentam detalhes que orientam os projetos

  • 04/06/2019
  • Robson Camargo

 

Você sabe qual a utilidade do dicionário da EAP? Só para recordar, a EAP (Estrutura Analítica do Projeto), ou WBS (Work Breakdown Structure), é a decomposição hierárquica das entregas do projeto em componentes menores, em pacotes de trabalho, e mais facilmente gerenciáveis.

E o dicionário da EAP traz a descrição desses pacotes de trabalho, com o objetivo de orientar a equipe do projeto. Pode conter informações técnicas, recursos e critérios de aceitação.

De que forma o dicionário da EAP orienta os projetos?

A EAP fornece uma visão estruturada das entregas do projeto e é um ótimo instrumento para alinhar o entendimento do projeto e integrar todas as áreas.

A EAP/WBS é uma decomposição hierárquica do escopo total do trabalho a ser executado pela equipe do projeto a fim de alcançar os objetivos do projeto e criar as entregas requeridas.

Essa estrutura organiza e define o escopo total do projeto e representa o trabalho especificado na atual declaração do escopo do projeto aprovada. O trabalho planejado é contido dentro dos componentes de nível mais baixo da EAP, que são chamados de pacotes de trabalho.

O dicionário da EAP/WBS disponibiliza informação detalhada sobre o trabalho que será realizado nos níveis mais baixos da EAP/WBS. Nela inclui-se uma narrativa descritiva do trabalho a realizar e referências aos requisitos contratuais.

O dicionário da EAP, por meio da definição das tarefas que são necessárias realizar em cada uma das atividades, ajuda a obter estimativas precisas para a duração das atividades. Cada equipe de projeto deve criar e manter atualizado o dicionário da EAP durante todo o ciclo de vida do projeto.

O dicionário expande cada uma das atividades existentes no pacote de trabalho (nível inferior da EAP), adicionando-lhe uma descrição narrativa, que deve, de forma clara, apresentar uma descrição detalhada do âmbito/escopo do trabalhe em cada elemento da EAP.

Além da descrição do trabalho a executar, o dicionário da EAP deve incluir:

  • A descrição e detalhe das tarefas incluídas na atividade;
  • A lista de materiais a utilizar;
  • O nome dos responsáveis e de outros recursos humanos envolvidos na atividade;
  • Os principais riscos;
  • A estimativa de custos;
  • As dependências em relação às demais atividades do projeto;
  • Códigos contabilísticos em que os custos dessa atividade deverão ser atribuídos.

A EAP bem organizada e detalhada pode auxiliar a equipe de gerenciamento e os usuários chave na alocação eficiente dos recursos, orçamento de projetos, gestão de contratos, agendamento, garantia de qualidade, controle de qualidade, gestão de riscos, a entrega do produto e gestão orientada a serviços.

A EAP deve representar todo o trabalho identificado na declaração do escopo do projeto aprovado e serve como uma base inicial para o desenvolvimento do cronograma eficaz e estimativa de custos.

Os gerentes de projeto normalmente irão desenvolver uma EAP como um precursor de um cronograma de projeto detalhado. A EAP deve ser acompanhada de um Dicionário da EAP, que enumera e define elementos da EAP.

O dicionário da EAP serve para a equipe do projeto:

  • planejar de forma proativa e logicamente o projeto até a conclusão;
  • coletar as informações sobre o trabalho que precisa ser feito para um projeto;
  • organizar as atividades em componentes gerenciáveis que irão atingir os objetivos do projeto.

A EAP e dicionário da EAP não são o cronograma, mas os blocos de construção para ele.

O dicionário da EAP deve ser consistente com a EAP. As informações exibidas no dicionário vão ajudar o Gerente de Projeto a desenvolver mais tarde o cronograma inicial detalhado. O dicionário da EAP pode ser tabelado ou em formato listado.

A EAP e o dicionário da EAP não devem ser documentos estáticos. A construção da EAP está sujeita à elaboração progressiva, conforme novas informações se tornam conhecidas. A EAP deve ser revista para refletir essa informação.

A equipe do projeto, que tem alterações substanciais à sua EAP, deve fazer referência ao Plano de Gestão da Mudanças do projeto e seguir a orientação sobre gestão de mudanças no escopo do projeto.

A chave para uma boa EAP e dicionário da EAP é o envolvimento dos membros da equipe do projeto para identificar de forma abrangente e discutir as atividades do projeto. O Gerente de Projeto deve garantir que todo o trabalho em equipe que precisa ser realizado para o projeto esteja contido no dicionário da EAP e que seja entendido pelos membros da equipe.

Todo o trabalho deve ter duração, os recursos, as dependências, e o nível de esforço claramente definidos. O Gerente de Projeto deve obter feedback de todos os membros da equipe para garantir que a EAP e o dicionário sejam válidos e abrangentes antes de elaborar o cronograma detalhado.

Conclusão

O dicionário da EAP serve como parte de um sistema de autorização de trabalho descrevendo para os integrantes da equipe cada componente da estrutura analítica do projeto (EAP).

E você pode usá-lo para controlar quando um trabalho específico é realizado, para evitar aumento do escopo e aumentar a compreensão das partes interessadas sobre o esforço necessário para cada pacote de trabalho.

O dicionário da EAP, essencialmente, define limites do que é incluído no pacote de trabalho.

Viu como o dicionário da EAP auxilia nos projetos? Ficou alguma dúvida? Fale com a gente.

E para reforçar o assunto, vamos ver um vídeo sobre WBS e EAP?

 

 

Sobre o autor

Robson Camargo, PMP, MBA, GWCPM, ASF é professor nos cursos de MBA das Principais Escolas de Negócio do País: FGV, Fundação Dom Cabral e FIA/USP com Certificação PMP – Project Management Professional emitida pelo PMI, MBA em Administração de Projetos pela FEA/USP e Master Certificate pela George Washington. Robson Camargo é autor do livro PM VISUAL e criador do Método PM VISUAL. Sua equipe realiza treinamentos e consultorias em empresas do Brasil e exterior. Robson Camargo está à frente da RC Robson Camargo – Projetos e Negócios, há mais de 11 anos.

As marcas PMP, PMI, PMBOK e a logomarca “REP” RegisteredEducationProvaider são marcas registradas do Project Management Institute, Inc.

 

Deixe seu Comentário

Agenda

Confira nossa programação!

Sobre

É uma empresa de Educação Corporativa oficialmente homologada pelo PMI com o selo de R.E.P. (Registered Education Provider), alinhada com o Triângulo de Talentos do Gerente de Projetos

Você também pode se interessar

Newsletter

Fale com a gente!