Blog

Confira nossas novidades e assine nossa newsletter!

Assine nossa Newsletter

Veja outros Posts

Manifesto Ágil: entenda como surgiu e conheça os 12 princípios

Manifesto Ágil: entenda como surgiu e conheça os 12 princípios

Manifesto Ágil: entenda como surgiu e conheça os 12 princípios

  • 10/9/2018
  • Robson Camargo

 

Para muitos empreendedores, o momento de transformação no mundo do trabalho que estamos vivendo teve origem com o Manifesto Ágil e suas metodologias ágeis de desenvolvimento de software.

As metodologias ágeis são abordagens para o desenvolvimento de produtos que estão alinhadas com os valores e princípios descritos no Manifesto Ágil para Desenvolvimento de Software, assinado em 2001 em Utah. Entenda como tudo isto começou!

Como surgiu o Manifesto Ágil

O Manifesto Ágil é uma declaração de valores e princípios essenciais para o desenvolvimento de software. Ele foi criado em fevereiro de 2001, quando 17 profissionais, que já praticavam métodos ágeis como XP, DSDM, SCRUM, FDD etc, se reuniram nas montanhas nevadas do estado norte-americano de Utah.

Embora esses 17 desenvolvedores utilizassem abordagens e métodos diferentes, eles compartilhavam dos mesmos fundamentos.

Ao decorrer da reunião, um consenso comum sobre aspectos importantes em desenvolvimento de software fluía. Logo, todos acharam melhor elevar aquela reunião a um patamar maior.

Decidiram escrever um documento que serviria como grito de guerra aos novos processos de desenvolvimento de software. A primeira parte se resumia a encontrar um nome que expressasse bem o significado daquele movimento, métodos leves deixaram de ser uma opção válida, pois não explanavam o significado desejado.

Após considerar vários nomes decidiram que a palavra “ágil” melhor captava a abordagem proposta.

A segunda parte da reunião foi dedicada à escrita de um documento que desencadearia o Agile Manifesto, nele estaria contido a declaração das crenças e valores que aquelas 17 pessoas possuíam.

Na última parte e nos meses seguintes, foram trabalhados os princípios. O Manifesto Ágil se tornou um grito de guerra para a indústria de software e para aqueles 17. O documento consegue expressar claramente o que defende e o que opõe, deixando bem claro o que é, e o que não é ágil.

O Manifesto Ágil aborda valores que todos os profissionais ali reunidos acordaram em seguir e disseminar.

Os valores Manifesto Ágil são:

- Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas;

- Software em funcionamento mais que documentação abrangente;

- Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos;

- Responder a mudanças mais que seguir um plano.

De acordo com The Agile Manifesto, mesmo havendo valor nos itens à direita, os itens à esquerda são mais valorizados.

Para compreender melhor os 4 valores do Manifesto Ágil:

1 - Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas

Devemos entender que o desenvolvimento de software é uma atividade humana e que a qualidade da interação entre as pessoas pode resolver problemas crônicos de comunicação. Processos e Ferramentas são importantes, mas devem ser simples e uteis.

2 - Software em funcionamento mais que documentação abrangente

O maior indicador de que sua equipe realmente construiu algo é software funcionando. Clientes querem é resultado e isso pode ser com software funcionando. Documentação também é importante, mas que seja somente o necessário e que agregue valor.

3 - Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos

Devemos atuar em conjunto com o cliente e não “contra” ele ou ele “contra” a gente. O que deve acontecer é colaboração, tomada de decisões em conjunto e trabalho em equipe, fazendo que todos sejam um só em busca de um objetivo.

4 - Responder a mudanças mais que seguir um plano

Desenvolver software e produtos é um ambiente de alta incerteza e por isso não podemos nos debruçar em planos enormes e cheio de premissas. O que deve ser feito é aprender com as informações e feedbacks e adaptar o plano a todo momento.

Os doze princípios do Manifesto Ágil

Baseado em 12 princípios, o Manifesto Ágil tornou-se uma espécie de guia que orienta as ações, as escolhas de métodos e ferramentas dos times ágeis de projetos, maximizando os resultados. Estes são os 12 princípios do Manifesto Ágil:

1 - Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado.

2 - Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.

3 - Entregar frequentemente software funcionando, de poucas semanas a poucos meses, com preferência à menor escala de tempo.

4 - Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto.

5 - Construir projetos em torno de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e o suporte necessário, e confiando neles para fazer o trabalho.

6 - O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é por meio de conversa face a face.

7 - Software funcionando é a medida primária de progresso.

8 - Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante indefinidamente.

9 - Contínua atenção a excelência técnica e bom design aumenta a agilidade.

10 - Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado é essencial.

11 - As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis.

12 - Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz e então refina e ajusta seu comportamento de acordo.

Com o Manifesto Ágil foi necessário criar uma organização permanente que o representasse. Assim, no final de 2001, nasceu a Agile Alliance. Uma organização sem fins lucrativos que procura promover o conhecimento e discussões sobre os vários métodos ágeis existentes no mundo.

Cada método ágilexistente hoje carrega consigo os valores e princípios arraigados no Manifesto Ágil, métodos como Scrum, Kanban e XP os trazem, por isso são denominados ágeis.

A real possibilidade de introduzir no mercado produtos com mais rapidez e níveis elevados de satisfação, tem popularizado os métodos ágeis ao redor do mundo. As recompensas para quem decide ser ágil são grandes, não à toa, empresas como Google, Yahoo, Microsoft e IBM os utilizam.

Diferença entre os métodos tradicional e ágil

Mas ainda existe muita discussão sobre a utilização do método tradicional de gestão de projetos, caracterizado pelo desenvolvimento de um produto por meio de fases de um projeto.

As fases representam um conjunto de atividades, relacionadas de maneira lógica, que chegam em conclusões ou entregas específicas. A estrutura de fases permite um melhor controle do que está acontecendo, ou seja, facilita a gestão do projeto.

Normalmente, o que se entende pelo ciclo de um projeto são as seguintes fases:

- Início do projeto

- Organização e preparação

- Execução do trabalho

- Encerramento do projeto

Quando uma fase se encerra, algum produto do trabalho é levado para a fase seguinte, produto esse que foi avaliado e aprovado por um responsável.

Neste modelo também é fundamental o gerenciamento de riscos que, por meio de um processo sistemático de planejamento estratégico que envolve processos de identificação, avaliação, resposta e monitoramento de riscos, tem o objetivo de minimizar ameaças e maximizar oportunidades de um projeto.

Entretanto, quando se trata do ciclo de vida de projetos ágeis, o começo e final de cada fase representa um ponto de reavaliação do trabalho que será e já foi realizado. Nesses casos, é mais fácil e rápido diagnosticar e corrigir erros que impactam na performance.

 

Agora fique com um vídeo em que abordo uma dica importante para os gerentes de projeto:

 

Sobre o autor

Robson Camargo, PMP, MBA, GWCPM, ASF é professor nos cursos de MBA das Principais Escolas de Negócio do País: FGV, Fundação Dom Cabral e FIA/USP com Certificação PMP – Project Management Professional emitida pelo PMI, MBA em Administração de Projetos pela FEA/USP e Master Certificate pela George Washington. Robson Camargo é autor do livro PM VISUAL e criador do Método PM VISUAL. Sua equipe realiza treinamentos e consultorias em empresas do Brasil e exterior. Robson Camargo está à frente da RC Robson Camargo – Projetos e Negócios, há mais de 11 anos.

 

As marcas PMP, PMI, PMBOK e a logomarca “REP” RegisteredEducationProvaider são marcas registradas do Project Management Institute, Inc.

 

 

 

Deixe seu Comentário

Agenda

Confira nossa programação!

Sobre

É uma empresa de Educação Corporativa oficialmente homologada pelo PMI com o selo de R.E.P. (Registered Education Provider), alinhada com o Triângulo de Talentos do Gerente de Projetos

Você também pode se interessar

Newsletter

Fale com a gente!