Blog

Confira nossas novidades e assine nossa newsletter!

Assine nossa Newsletter

Veja outros Posts

Por que cultura organizacional e o gerenciamento de projetos são importantes?

Por que cultura organizacional e o gerenciamento de projetos são importantes?

Por que cultura organizacional e o gerenciamento de projetos são importantes?

  • 9/1/2019
  • Robson Camargo

 

Não raro, nos ambientes empresariais, as pessoas alegam que a grande vilã pelas dificuldades e tentativas frustradas para implantar um gerenciamento profissional de projetos é da cultura organizacional vigente na empresa.

Esse “ser”, muitas vezes paralisante, chamado cultura organizacional pode tanto desestimular as tentativas de inovação quanto impulsionar a implantação de vários processos e melhorias. Veja a seguir como a cultura organizacional e o gerenciamento de projetos estão ligados.

O que é cultura organizacional

A cultura organizacional de uma empresa pode ser resumida a um conjunto de padrões de comportamento, determinadas posturas ou filosofias de trabalho que dominam as rotinas da empresa. É uma mentalidade impregnada no modo de agir de cada colaborador, estabelecendo modelos e direcionando o comportamento diário das equipes.

No cotidiano, é fácil observar os aspectos culturais de uma empresa, veja alguns exemplos:

  • poder desfrutar de uma jornada de trabalho flexível
  • possuir determinados padrões relacionados à qualidade dos projetos
  • instituir o uso de roupas formais ou informais
  • apresentar níveis de controle e de autonomia estruturados
  • estabelecer políticas de reconhecimento de resultados e de valorização dos profissionais

O conceito de cultura organizacional é tudo que envolve a rotina de uma empresa e funciona como diretriz para guiar o comportamento e mentalidade de seus membros. Ou seja: suas práticas, hábitos, comportamentos, símbolos, valores, princípios, crenças, cerimônias, políticas, sistemas, jargões etc.

Por isso, pensando que a cultura organizacional é algo bem abrangente, a primeira coisa a fazer é estabelecer como essa sociedade será. Isso inclui qual língua ela falará, quais práticas são bem vistas, quais hábitos pertencem a esse grupo particular.

A Cultura Organizacional (sistema de valores compartilhados) pode ser definida como o resultado de um aprendizado coletivo, ou seja, um conjunto de padrões de comportamentos que dominam as rotinas de uma organização.

Isso significa que esse mindset vai direcionar o comportamento diário das equipes, de forma positiva ou negativa. As organizações possuem personalidade própria e podem ser rígidas ou flexíveis, apoiadoras ou hostis, inovadoras ou conservadoras, de cultura fraca ou cultura forte.

É muito importante entender a cultura de uma empresa, pois se não for bem compreendido, qualquer processo de mudança não funcionará. Por exemplo, dependendo das barreiras impostas pela cultura organizacional pode ser muito complicada a implantação de Balanced Scorecard (BSC).

O que representa a cultura organizacional

Agora que você já viu o que é cultura organizacional, fica mais fácil entender que a literatura apresenta, basicamente, 4 tipos de cultura. São eles:

Cultura do poder

A cultura do poder incide mais em organizações menores, especificamente porque o poder permanece canalizado em um ponto central, com poucos processos, regras e procedimentos. Logo, não são o que se pode chamar de organizações processuais. Valorizam o colaborador (sobretudo por seus resultados) e apresentam um alto índice de rotatividade na área intermediária da hierarquia.

Cultura de papéis

A cultura de papéis se destaca por sua lógica e racionalidade excessivas. Nesse tipo de empresa, há descrição de tarefas, definição de autoridade, lista de procedimentos para comunicação e regras para a solução de conflitos.

Enquanto na cultura do poder a organização reage de forma rápida às ameaças, na cultura de papéis a organização é vagarosa para consolidar a identificação de mudanças.

Cultura da tarefa

O terceiro tipo é a cultura da tarefa, orientada, sobretudo, para o trabalho e projetos. Em organizações com esse tipo de cultura, a determinação de equipes multidisciplinares para resolver problemas é valorizada e fomentada, consequentemente viabilizando uma reação rápida e criativa. Embora o clima tenda a ser agradável, as organizações com a cultura da tarefa costumam concentrar disputas por recursos, proporcionando um maior rigor do controle por meio do estabelecimento de normas e procedimentos.

Cultura da pessoa

O quarto e último tipo é a cultura da pessoa, considerada de ocorrência rara pela literatura especializada, pois está condicionada aos indivíduos e a seus respectivos valores. Uma empresa de consultoria que em seu corpo de especialistas conta com alguém que é considerado referência em determinada área é um bom exemplo.

Pois bem, diante de tudo isso fica fácil entender porque o Gerente de Projeto deve conhecer verticalmente a Cultura Organizacional da empresa. Ele precisa saber qual dos tipos de cultura organizacional foi implantado para poder escolher pessoas e setores adequados para o projeto, aplicando a metodologia existente.

Além de compreender que quando um grupo está diante de uma tarefa, as pessoas reagem num nível diferente: clarificação do objetivo; outras reagem no nível da informação, ou pedindo informação ou trazendo informação; outras mais no nível do planejamento quem está fazendo o que, quando em que ordem? e algumas reagem no nível do fazer.

A cultura organizacional positiva e forte pode transformar o ambiente de uma organização e trazer melhores resultados, mais produtividade e qualidade aos projetos em andamento, além de sinergia entre os membros da equipe.

O gerente de projetos, por exemplo, ao avaliar a utilização da melhoria contínua dos processos no aumento da produtividade, precisa ter claro se há necessidade de mudança da cultura organizacional.

Portanto, o sucesso da gestão de projetos depende de uma série de fatores. Um deles é a Cultura Organizacional, já que ela afeta o momento que a organização está vivendo e como está lidando com os desafios do dia-a-dia, além de definir toda a estrutura de trabalho corporativo.

Percebeu como a cultura organizacional pode influenciar, de forma positiva ou negativa, no gerenciamento de projetos? Ficou alguma dúvida? Fale com a gente!

E se a intenção é começar pensar de forma diferente, veja esse vídeo que explica o que é Design Thinking:

 

Sobre o autor

Robson Camargo, PMP, MBA, GWCPM, ASF é professor nos cursos de MBA das Principais Escolas de Negócio do País: FGV, Fundação Dom Cabral e FIA/USP com Certificação PMP – Project Management Professional emitida pelo PMI, MBA em Administração de Projetos pela FEA/USP e Master Certificate pela George Washington. Robson Camargo é autor do livro PM VISUAL e criador do Método PM VISUAL. Sua equipe realiza treinamentos e consultorias em empresas do Brasil e exterior. Robson Camargo está à frente da RC Robson Camargo – Projetos e Negócios, há mais de 11 anos.

 

As marcas PMP, PMI, PMBOK e a logomarca “REP” RegisteredEducationProvaider são marcas registradas do Project Management Institute, Inc.

 

 

Deixe seu Comentário

Agenda

Confira nossa programação!

Sobre

É uma empresa de Educação Corporativa oficialmente homologada pelo PMI com o selo de R.E.P. (Registered Education Provider), alinhada com o Triângulo de Talentos do Gerente de Projetos

Você também pode se interessar

Newsletter

Fale com a gente!